sexta-feira, 2 de novembro de 2007

IO APOLONI (1969)

EP ESTUDIO, 1969

Esta italiana radicada em Portugal, era então, uma das "grandes" artistas de teatro, revista e cine. Este EP até tem bastante interesse, apesar de ela cantar apenas versões em português de exitos italianos. É acompanhada pelo conjunto de PEDRO OSÓRIO.

19 comentários:

Anónimo disse...

E além do mais era "boa como o milho"...

Fantomas disse...

Pois... e das poucas que se despiam...

Anónimo disse...

...em público, queres tu dizer...
...porque em privado...
sempre se despiram todas...

Fantomas disse...

Tiraste-me as palavras da boca!!!!

johnnyrockets disse...

tens aqui grandes pérolas. e disponibilizar uns mp3, não? :-)

Fantomas disse...

Eu ainda não sei mexer muito bem com isto. Quando puder meto umas musicas :-)

johnnyrockets disse...

se precisares de ajuda diz qualquer coisa aqui nos comentários, que a gente entra em contacto por mail. ficaria muito grato em ajudar, especialmente tendo em conta as coisas que nos ias conseguir arranjar. :-)

Anónimo disse...

e a io apoloni foi casada com o antónio reis, o maçon do ps.

antónio

Fantomas disse...

Quem do PS não é maçom?????

dim disse...

tará...


http://sonhoseculoxx.blogs.sapo.pt/tag/io+apolloni

MF disse...

E também foi casada com o Camilo de Oliveira

O filme em que ela participou era "Sofia ou a Educação Sexual"

Anónimo disse...

Meu nome é leonardo apoloni
sei lá quem são esses caras mais não são da minha familia não

Victor disse...

Ela era linda de morrer, e como diz o caro anónimo "boa como o milho".
Sabiam que ela esteve para casar com o cantor espanhol "Joselito"?

Fantomas disse...

Essa nao sabia. O disco até é bem interessante.

Victor disse...

Oh! Fantomas
Ela era + interessante.

Victor disse...

O Stone de certeza que ainda não descobriu este post.

Rafael Amorim disse...

Tenho o Policia Sexy/ Erótica com música de Thillo Krasman editado pela Metro Som. Alguem tem alguma ideia da data de lançamento deste single e se o tem em Mp3

Anónimo disse...

Film "Loca Juventud", 1962

Anónimo disse...

"hasta que comprueba que son gamberros"